top of page

Produtores do Projeto Leite Seridó participam de palestra sobre cultivo intensivo de palma


Um grupo de produtores atendidos no projeto Leite Seridó participou da palestra “A tecnologia do cultivo intensivo de palma”, ministrada pelo engenheiro agrônomo Paulo Suassuna, no dia 27 de maio, durante a 50ª Exposição Agropecuária do município de Caicó, no Rio Grande do Norte.

A participação dos produtores foi organizada pelo Instituto BioSistêmico e pelo Sebrae/RN, como parte da programação de capacitações técnicas do Projeto Leite Seridó. O cultivo da palma forrageira será um tema amplamente trabalhado entre os produtores no decorrer do projeto.


“Planta resistente e de boa adaptabilidade, a palma é importante para a alimentação do rebanho. Rica em água de qualidade e energia para os animais, quando balanceada na dieta consegue atender as demandas nutricionais do rebanho leiteiro com eficiência”, destaca Luiz Sartori, coordenador técnico dos projetos de pecuária do IBS na região Nordeste.


De acordo com ele, essas características da palma forrageira são fundamentais para a pecuária leiteira na região do Seridó, que apresenta baixo índice pluviométrico e escassez de forragem no período de estiagem.


“Além das orientações técnicas para o cultivo da planta, vamos sugerir o plantio de palma forrageira em uma área de até 500 m², em cada propriedade, com mudas fornecidas pelo projeto”, acrescenta.


Sobre o Projeto Leite Seridó


Concebido e executado pelo Instituto BioSistêmico, o projeto Leite Seridó conta com apoio de recursos da Fundação Zoetis e do Sebrae/RN. A iniciativa busca promover o desenvolvimento da pecuária leiteira num total de 100 propriedades, com perfil de agricultura familiar, na região do Seridó, no estado do Rio Grande do Norte, região Nordeste do Brasil.


Propõe um conjunto de atividades e recursos de assistência tecnológica, estruturados e modulados em quatro eixos temáticos voltados à melhoria do processo produtivo: boas práticas, manejo reprodutivo, manejo nutricional e manejo sanitário.


O projeto utiliza a metodologia CheckMilk, que conta com uma plataforma com sistema de gestão e aplicativo para as equipes técnicas e para os produtores. O sistema facilita a gestão do projeto e o aplicativo auxilia o produtor no dia a dia, como um suporte, uma extensão da consultoria do IBS que pode ser acessada a qualquer hora na palma da mão.

3 visualizações0 comentário
bottom of page