top of page

Projeto Leite Seridó recebe primeiros atendimentos de manejo reprodutivo


Contribuir para o melhoramento genético dos rebanhos leiteiros, na região do Seridó, no Rio Grande do Norte, é um dos focos do projeto Leite Seridó, executado pelo Instituto BioSistêmico (IBS), com apoio de recursos da Fundação Zoetis e do Sebrae/RN.


Para alcançar esse objetivo, os atendimentos de manejo reprodutivo desempenham um papel Fundamental. Na primeira quinzena de junho, o IBS realizou os primeiros atendimentos do projeto voltados à área reprodutiva para as propriedades localizadas nos municípios de Timbaúba dos Batistas e Serra Negra.


“Nos atendimentos de manejo reprodutivo, o médico veterinário realiza a avaliação ginecológica dos animais, diagnóstico de gestação e, quando possível, já inicia a sincronização dos animais para IATF”, explica destaca o médico veterinário Luiz Sartori, coordenador técnico de projetos de pecuária do IBS na região Nordeste.


Ele acrescenta que o perfil do público atendido no projeto é de pequenos e médios produtores que fornecem leite para algum laticínio ou queijaria da região. Muitos produtores não tinham acesso a exame de ultrassom para as vacas e a tecnologias reprodutivas, como IATF, uma realidade que passou a ser possível a partir do Leite Seridó.


De acordo com o médico veterinário Fabio Luís Spinelli, que realizou a primeira rodada de manejo reprodutivo, a receptividade dos produtores foi excelente e fizeram questão de acompanhar todos os detalhes das imagens verificadas nos exames de ultrassom.


Sobre o Projeto Leite Seridó


Concebido e executado pelo Instituto BioSistêmico, o projeto Leite Seridó conta com apoio de recursos da Fundação Zoetis e do Sebrae/RN. A iniciativa busca promover o desenvolvimento da pecuária leiteira num total de 100 propriedades, com perfil de agricultura familiar, na região do Seridó, no estado do Rio Grande do Norte, região Nordeste do Brasil.


Propõe um conjunto de atividades e recursos de assistência tecnológica, estruturados e modulados em quatro eixos temáticos voltados à melhoria do processo produtivo: boas práticas, manejo reprodutivo, manejo nutricional e manejo sanitário.


O projeto utiliza a metodologia CheckMilk, que conta com uma plataforma com sistema de gestão e aplicativo para as equipes técnicas e para os produtores. O sistema facilita a gestão do projeto e o aplicativo auxilia o produtor no dia a dia, como um suporte, uma extensão da consultoria do IBS que pode ser acessada a qualquer hora na palma da m

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page