top of page

IBS inicia os atendimentos de manejo reprodutivo no projeto Leite Rondônia


Fomentar o melhoramento genético dos rebanhos leiteiros, na região de Ji-Paraná, no estado de Rondônia, é um dos principais objetivos do projeto Leite Rondônia, executado pelo Instituto BioSistêmico (IBS), com apoio de recursos da Fundação Zoetis.


Para alcançar esse objetivo, os atendimentos de manejo reprodutivo são essenciais. Entre os dias 06/05 e 08/06, o IBS realizou os primeiros atendimentos do projeto voltados à área reprodutiva para as propriedades localizadas nos municípios rondonienses de Mirante da Serra, Nova União, Ouro Preto do Oeste e Jardinópolis.


“Nesses primeiros atendimentos, realizamos a avaliação ginecológica das vacas, diagnóstico de gestação e, quando possível, já iniciamos a sincronização dos animais para a Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF)”, relata o médico veterinário Guilherme Oliveira, consultor do Instituto BioSistêmico que integra a equipe do projeto.


De acordo com médico veterinário, as propriedades atendidas têm perfil de agricultura familiar. “Alguns produtores, além de produzir leite, plantam cacau e criam peixes em tanques para diversificar a renda da família”, afirma.


Guilherme acrescenta que os produtores estão entusiasmados com o início do projeto Leite Rondônia, que facilita o acesso deles a tecnologias importantes para o desenvolvimento da pecuária leiteira como, por exemplo, técnicas de inseminação, assim como a oportunidade de monitoramento da saúde reprodutiva dos animais com os exames de ultrassom.


Planejamento Reprodutivo


De acordo com o coordenador técnico de projetos de pecuária do IBS, Luiz Sartori, o foco dos atendimentos reprodutivos é diminuir o intervalo entre partos das vacas, reduzindo o tempo de retorno à ciclicidade.


“Esse trabalho busca programar com precisão o tempo que os animais gestantes irão parir para garantir um manejo pré-parto adequado. O diferencial está em inserir genética de ponta e adaptada para a realidade de cada produtor, para que assim possam aumentar a produção de leite sem ter custos adicionais com isso”, explica Luiz Sartori.




O coordenador técnico de pecuária do IBS ressalta que, com o controle zootécnico em mãos, o produtor aumenta a viabilidade da atividade leiteira por ser possível traçar estratégias que aumentarão a produtividade do rebanho.


Sobre o Projeto Leite Rondônia


Concebido e executado pelo Instituto BioSistêmico, o projeto Leite Rondônia conta com apoio de recursos da Fundação Zoetis.  A iniciativa busca promover o desenvolvimento da pecuária leiteira num total de 100 propriedades, com perfil de agricultura familiar, na região de Ji-Paraná, no estado de Rondônia, no Bioma Amazônico.


Propõe um conjunto de atividades e recursos de assistência tecnológica, estruturados e modulados em quatro eixos temáticos voltados à melhoria do processo produtivo: boas práticas, manejo reprodutivo, manejo nutricional e manejo sanitário.


Além das visitas técnicas em cada propriedade, o projeto prevê encontros de formação. Estes incluem capacitações voltadas à sustentabilidade da pecuária leiteira no Bioma Amazônico, com destaque para temas que necessitem de uma atenção maior nas propriedades, reforçando as medidas de boas práticas a serem implementadas durante o projeto.


O projeto utiliza a metodologia CheckMilk, que conta com uma plataforma com sistema de gestão e aplicativo para as equipes técnicas e para os produtores. O sistema facilita a gestão do projeto e o aplicativo auxilia o produtor no dia a dia, como um suporte, uma extensão da consultoria do IBS que pode ser acessada a qualquer hora na palma da mão.

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page