Por que as instruções normativas 76 e 77 do MAPA são tão importantes?


Nas últimas décadas, a qualidade do leite brasileiro foi um dos temas mais pautados nos debates do setor. Afinal, produzir leite de qualidade vem representando uma necessidade recorrente em fazendas leiteiras que priorizam maior rentabilidade.

Essa necessidade não se restringe às exigências dos consumidores ou indústrias mais preocupadas em receber matéria-prima de maior qualidade. O fato é que as instruções normativas 76 e 77 já estão em vigor e tornam mais rígidas as regras de qualidade.

No Brasil, a maioria dos produtores sabem que devem seguir as regras, mas muitos não reconhecem a real importância dessas melhorias quanto aos regulamentos técnicos, critérios e procedimentos de todas as etapas de produção.

Por isso, convidamos você a conhecer mais sobre essas instruções normativas e, principalmente, sobre a importância delas para que a qualidade do leite melhore significativamente. Entenda as instruções normativas no setor leiteiro As instruções normativas 76 e 77, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), trouxeram muitas novidades para todas as etapas da cadeia produtiva do leite, desde a produção até os critérios finais de qualidade dos leites pasteurizados.

Essas regras foram publicadas no dia 30 de novembro de 2018 e começaram a vigorar no final de maio de 2019 e aumentaram as exigências quanto à qualidade do leite nas fazendas e na indústria. A IN 77 considera desde a organização da propriedade rural, focando nas instalações e nos equipamentos, além da formação e capacitação de colaboradores. A IN 76, por sua vez, trata das características e da qualidade do produto na indústria, aprovando para isso os regulamentos técnicos que fixam a identidade e as características de qualidade que devem apresentar o leite cru refrigerado, o leite pasteurizado e o leite tipo A.


Com esse novo regramento, os fornecedores serão acompanhados, orientados e qualificados no intuito de intensificar seus controles na obtenção diária de leite, aplicando para isso ferramentas de gestão de qualidade nas propriedades, que incluem manejo sanitário, refrigeração e estocagem, qualidade da água, uso racional de medicamentos veterinários, além de adoção de boas práticas de bem-estar animal.


Afinal, por que as normativas são tão importantes?


A cadeia produtiva do leite vem passando por transformações importantes nos últimos anos. Com isso, é fundamental o estabelecimento de padrões alinhados à realidade.


Evidentemente, as mudanças apresentadas pelos novos regimentos representam mais um passo para que a cadeia leiteira conquiste maior qualidade de seus processos e produtos.


Conhecer as regras é apenas uma parte de todo um processo. O mais importante é que elas sejam colocadas em prática a ponto de trazer melhorias aos processos produtivos e ao leite.


Cabe às IN 76 e 77 representarem apenas uma espécie de plano para qualificar fornecedores de leite, mas na prática é a rotina diária da fazenda a parte mais importante disso tudo. É preciso ter planejamento, gestão e ação muito bem alinhados.


A IN 77 destaca a necessidade da capacitação continuada no campo que, associada ao monitoramento diário da qualidade do leite e dos processos, resultará em melhorias para toda a cadeia produtiva: da fazenda, passando pelo transporte, até chegar ao laticínio.


Além disso, a ideia relacionada às instruções normativas e suas regras atualizadas é fazer análises constantes e propor medidas para a melhoria gradual da qualidade, aumentando o rendimento industrial e viabilizando a competitividade.


De nada adiantará se determinada fazenda produz uma grande quantidade de leite que apresenta contaminação ao passar pelas análises físico-químicas no laboratório. Assim, cabe às normativas estabelecerem o mínimo para fornecer um produto seguro para a população.


Com tudo isso, o objetivo do MAPA é promover, por meio de um padrão evolutivo de qualidade apresentado nas normativas, maior competitividade do setor lácteo brasileiro em comparação aos mercados internacionais.


Ao melhorar a qualidade dos processos e do produto, a garantia de renda e sustentabilidade para produtores e laticínios presentes em todo o país será uma consequência positiva para todos. Seguir as normativas representa um passo fundamental para a conquista do sucesso dentro da pecuária leiteira.


Quer saber mais? Então confira no Blog ChecMilk quais são as boas práticas relacionadas à qualidade do leite que vale a pena conhecer!


Checkmilk é uma plataforma digital brasileira para Qualificação e Desenvolvimento de Fornecedores de Leite e tem como propósito prover o mercado lácteo (laticínios e usinas de leite), com soluções e ferramentas de suporte.

Atendimento

Segunda à sexta-feira, das 8h às 18h

Sábado das 8h às 13h

EVENT

Campo Grande/MS

​Tel.: (67) 3201-4198

Rua Pedro Celestino, 3839 | Monte Castelo

Campo Grande – MS | CEP 79010-780

  • Facebook
  • Siga o IBS no Instragram!

© 2023 Sistema CheckMilk. Desenvolvido por IBS – Instituto BioSistêmico. Orgulhosamente criado por Studio Hangar 16