Como proporcionar um ambiente tranquilo e sem estresse para as vacas leiteiras?

Atualizado: Ago 24

Devido a falhas de manejo, são comuns situações de estresse provocadas às vacas leiteiras, o que traz sérios efeitos negativos sobre a saúde, produtividade e conforto do rebanho.

Na pecuária, o termo estresse pode ser aplicado a qualquer mudança ambiental capaz de introduzir respostas que afetam a fisiologia, comportamento e, consequentemente, a produção dos animais.

Dessa forma, é importante que todo pecuarista conheça os efeitos do estresse em vacas leiteiras e faça ajustes dentro do seu sistema de produção. O objetivo é proporcionar um ambiente tranquilo, que não cause medo ou danos aos animais e seja, consequentemente, mais produtivo.

Saiba quais os efeitos do estresse de vacas leiteiras


No âmbito da pecuária, as vacas leiteiras são extremamente sensíveis ao estresse, principalmente térmico. Em condições de estresse, elas podem sofrer problemas e prejuízos de ordem produtiva, reprodutiva e de saúde.


O estresse térmico, por exemplo, costuma ser bastante danoso aos animais. As vacas são animais de produção que apresentam uma faixa ótima de temperatura ambiente, na qual se encontram em conforto térmico denominado “zona de termoneutralidade”.


Nesta zona, o sistema termorregulador do animal não é acionado, seja para capturar ou dissipar calor. Dessa forma, o gasto de energia para manutenção é mínimo, permitindo que uma maior quantidade de energia seja direcionada à produção.


Abaixo desta faixa de temperatura, a vaca entra em estresse pelo frio, e acima, em estresse pelo calor. As duas situações afetam o ambiente de equilíbrio das vacas, que certamente terão redução da produtividade.


Além disso, o estresse do manejo também é um fator que pode comprometer a produtividade. São fatores que podem passar despercebidos, como a simples mudança de lote/ambiente e a condução inadequada das vacas à sala de ordenha.


Estratégias de manejo para minimizar o estresse em vacas leiteiras


Para garantir um ambiente tranquilo e mais confortável ao rebanho, algumas estratégias de manejo relacionadas à pecuária leiteira são fundamentais. Dentre essas estratégias, vale destacar:

Vacas gostam de rotina – ofereça isso a elas!

Os bovinos são animais que gostam da rotina, e sofrem com mudanças bruscas ou inesperadas no manejo diário. Por isso, quanto mais disciplinado, rotineiro e pontual for o manejo com as vacas, melhor será o desempenho e menor será o estresse.

Cabe ao trabalhador da fazenda tomar os seguintes cuidados:

· Estabelecer horários e rotinas regulares de ordenha e de alimentação;

· Garantir o uso consistente de boas práticas;

· Saber como conduzir as vacas no manejo diário;

· Ter maior conhecimento sobre bem-estar animal;

· Tratar os animais de forma gentil e sem causar traumas.


Tenha um bom planejamento da rotina de ordenha


Atualmente, o principal foco dentro de propriedades leiteiras é, além de priorizar as vacas, priorizar a gestão de pessoas no manejo de ordenha. Por isso, a importância do ordenhador é fundamental na garantia de um ambiente tranquilo às vacas.

Entre as competências pessoais, o ordenhador deve:

· Realizar a ordenha com paciência;

· Ter habilidade e sensibilidade no manejo das vacas;

· Estar fisicamente bem preparado para desenvolver o trabalho;

· Conhecer os procedimentos para a manutenção adequada das instalações e dos equipamentos;

· Ter meios para garantir boas condições de saúde para si e para os animais.

O ordenhador deve também saber exatamente quais são as medidas higiênicas e de manejo que permitem reduzir a contaminação do leite, aumentar a produção, diminuir o tempo de ordenha e proporcionar bem-estar às vacas.

Conduzir os animais de forma tranquila, sem gritos ou ferrões


A condução das vacas deve ser feita com calma, sem correria e nem gritaria. Para que sejam ordenhadas e apresentem boa produção, as vacas leiteiras devem ser conduzidas de maneira tranquila, sem uso de pontas, chicotes e outros instrumentos que causem dor ou medo.

Além disso, a condução do lote fica mais fácil quando se conhece a vaca líder, trabalhando a movimentação do rebanho a partir dela.

Adoção de ações para reduzir o estresse térmicos das vacas leiteiras


Como vimos, o estresse térmico causa diversos problemas para a saúde de vacas leiteiras, principalmente as de origem europeia. Para reduzir esses efeitos, é essencial a adoção de algumas técnicas, tais como:

· Projete um local de descanso para o rebanho capaz de oferecer sombra natural ou artificial;

· Coloque a comida e água sempre nas áreas de sombra;

· Utilize ventiladores para amenizar o calor no ambiente;

· Busque reduzir distâncias de deslocamento dos animais.

Portanto, independentemente da causa do estresse em vacas leiteiras, cabe à propriedade proporcionar um ambiente que seja adequado e que não cause medo/estresse aos animais.

Como resultado, você terá vacas confortáveis e saudáveis e que apresentarão boa produtividade leiteira. Quer saber mais? Então confira nosso e-book exclusivo com dicas que proporcionam um ambiente que não cause estresse às vacas leiteiras!