Por que priorizar alimentos seguros para alimentar vacas leiteiras?


A nutrição animal é o principal fator que influencia a produção das vacas leiteiras, principalmente porque os custos com a alimentação do rebanho giram em torno de 70%.

Independentemente do número de animais, não é incomum que pecuaristas tenham que adquirir alimentos provenientes de fora da propriedade, tais como concentrados (rações) e alimentos volumosos para alimentar os animais em alguns períodos.

Dessa forma, para que problemas não sejam introduzidos na propriedade junto com alimentos externos, o produtor deve tomar alguns cuidados. A compra de insumos deve ser feita de forma segura, protegendo a saúde do rebanho e a qualidade do produto final, o leite.

Confira algumas dicas para que a qualidade do alimento que vem de fora seja a melhor possível e traga resultados positivos no quesito produtividade.

Eficiência e planejamento: essenciais para garantir o sucesso da propriedade leiteira


Na pecuária, o nível de eficiência de uma propriedade determina o sucesso ou o fracasso desse tipo de negócio. Neste cenário, produtores mais tecnificados e que planejam as compras dos insumos que compõem a alimentação de animais são os que têm maiores chances de obter êxito e sustentabilidade no negócio.


Entretanto, no caso da pecuária leiteira, a gestão é ainda mais complexa, principalmente por ser dependente da produção de grãos, sobretudo de concentrados de milho e de soja. Já os alimentos volumosos devem ter qualidade e disponibilidade suficientes para atender a demanda, principalmente na entressafra.


Essa complexidade evidencia a necessidade de realizar um manejo nutricional que seja alicerçado em conhecimentos técnicos, deixando de lado os “achismos” e focando em estratégias mais eficazes.


Além dessas questões, uma dieta equilibrada para o gado leiteiro deve ser composta por água, volumosos, concentrados, suplementos vitamínicos e minerais, que devem ter qualidade e procedência assegurados.


Rastreabilidade e controle de qualidade: aspectos importantes na compra de insumos


Visando uma nutrição que seja mais segura e adequada para o rebanho leiteiro, há a necessidade de garantir que todo tipo de alimento adquirido pela propriedade tenha a devida procedência e qualidade, garantido por um processo de rastreabilidade do alimento.


Dessa forma, cabe ao produtor tentar adquirir alimentos de fornecedores com programa reconhecido de garantia da qualidade e que permitam a rastreabilidade dos produtos ofertados.


A rastreabilidade é um mecanismo de controle que permite identificar a origem do produto, do campo ao consumidor final. Ela é representada por um conjunto de medidas que possibilitam controlar e monitorar todas as movimentações de determinado produto nas unidades, de entrada e de saída. Com isso, há maior garantia de uma produção de qualidade, com origem garantida.


Além da rastreabilidade, vale verificar se o fornecedor do alimento tem um programa de garantia implementado em seu processo de produção e que permita o monitoramento adequado de resíduos, da forma de produção e qualidade dos ingredientes desde a sua fonte.


Para essa verificação, o produtor deve escolher aqueles fornecedores que tenham um sistema apropriado para registrar e rastrear todos os alimentos ou ingredientes por ele adquiridos.


Assim, na pecuária leiteira, é preciso conhecer a idoneidade do fornecedor do alimento, que deve priorizar boas matérias-primas e estar atento a quaisquer não conformidades aos padrões que elas possam apresentar.


Adquira rações sempre regulamentadas pelo MAPA


Uma excelente forma de garantir alimentos com qualidade e procedência para o rebanho leiteiro é adquirir apenas alimentos com o selo de qualidade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).


No Brasil, o MAPA tem a responsabilidade da regulamentação da produção e da comercialização de rações. No Decreto nº 76.986 de 6 de janeiro de 1976, que regulamenta a Lei nº 6.198, de 26 de dezembro de 1974, há todas as informações sobre a inspeção e a fiscalização dos produtos destinados à alimentação animal. Para mais detalhes, clique aqui.


Esse decreto é composto por meio de instruções normativas periodicamente atualizadas e publicadas. A Instrução Normativa nº 08, publicada em 2002, por exemplo, fixa e identifica as características mínimas de qualidade de alimentos completos

.

Além disso, outros fatores também devem ser considerados, já que uma boa nutrição é essencial para garantir maior produtividade leiteira, permitindo que as vacas consigam transformar alimentos em leite. Dentre esses fatores, é importante considerar:


· Necessidades nutricionais de cada animal;

· Nível de produtividade desejada dentro do sistema de produção;

· Viabilidade econômica;

· Disponibilidade de alimentos (de acordo com a sazonalidade e localização regional).

Dessa forma, para que as dietas atendam às metas esperadas pelos produtores, é essencial que todos esses alicerces relacionados à qualidade da alimentação sejam muito bem monitorados e priorizados. A produtividade e a qualidade do sistema de produção agradecem.


Para saber mais sobre a importância da qualidade dos alimentos de vacas leiteiras, confira nosso e-book exclusivo sobre o tema!

23 visualizações0 comentário